Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Olá 😊

Esta semana as entregas serão todas na terça-feira em:
- Batalha
- Leiria
- Marinha Grande.

Na quinta-feira não podemos fazer as entregas do costume porque vamos andar de rabo no ar a apanhar ba-ta-ti-nhas.

Na sexta faremos o percurso habitual:
- Alcobaça
- Caldas da Rainha
- Óbidos

Esta semana trazemos também novidades: uvas pretas, que já estão bem boas (e fazem parte do cabaz grande). Quem cá anda também em grande são os nossos ricos pêssegos (que compõem os dois cabazes) e a preço muito especial, para encomenda extra, um extraordinário melão branco de Pias, claro está.

 

 

charles-jVYnBn3M9R0-unsplash.jpg

Photo by Charles 🇵🇭 on Unsplash

 

Cabaz Grande - batata, cenoura, cebola, alho-francês, abóbora, alface, couve-roxa, laranja, pêssego, uva preta e ervas aromáticas.

 

O Cabaz Médio não leva cenoura nem couve-roxa nem uva preta.


É um até breve, não é? 😊

Autoria e outros dados (tags, etc)

Parece que o Verão já cá está mas vem todo tímido, cheio de vergonhas e ou salamaleques.

 

Quem anda bem jeitosinho por estes lados, e a combinar com a estação, são os nossos pepinos ladinos que compõem cabaz médio e grande.

 

Há ainda uns pêssegos maravilhosos, como têm sido todos este ano, a fazer pandã também nos dois cabazes. 

 

ian-baldwin-f7FwHomDgzg-unsplash (1).jpg

 

Photo by Ian Baldwin on Unsplash

 

 

E, como temos tido novidades todas as semanas e não queríamos que esta fosse diferente, eis que nos chegam, pela primeira vez e de forma épica e exclusiva, pêssegos paraguaios NACIONAIS, directamente do nosso Mário das Fazendas de Almeirim. É o primeiro ano que tem esta variedade e estamos em pulgas para saber o que acham deles. Estão disponíveis para encomenda ao meio quilo pois não queremos que enjoem (como se isso fosse possível com tanta doçura). Ai, onde é que isto vai parar?! 

 

Cabaz Médio - cenoura, cebola, alface, pepino, espinafre, laranja, pêssego e ramo de ervas aromáticas.

 

O Grande leva ainda batata da cresta nova (andámos de rabo para o ar a colhê-las na quinta-feira passada), couve-roxa que é um mimo e ameixas da Guilhermina que são sempre uma maravilha.

 

Encomendas já sabem, é aqui!

 

Até breve!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá, olá!

Do mais rico que temos, do mais rico que colocamos nos cabazes. Ora portanto siga lá para o cabaz um cogumelos brancos do nosso Nelson que são um verdadeiro mimo: colhidos à mesma hora que se levantam as galinhas são, por isso mesmo, sempre frescos.

waldemar-brandt-Ql9oYxramg0-unsplash.jpgPhoto by Waldemar Brandt on Unsplash



Frescos andam também os nossos alhos-franceses. Substitutos da cebola nos mais variados pratos, estão sempre ao jeito para desenrascar aquela quiche, aquela sopinha, aquele brás de última hora.

E fruta? Há ameixas da Guilhermina no cabaz e para encomenda extra chegam-nos agora as framboesas e as amoras.

 

Cabaz grande - batata, cenoura, curgete, alho-francês, alface, cogumelo branco, nabiça, pêssego, laranja, ameixa e ervas aromáticas (salsa e coentros)

 

O médio não leva batata, pêssego nem  curgete.

 

Para encomendar basta clicar aqui!

 

Até breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá!

Esta semana a nossa padeirinha perdeu a cabeça e decidiu que ia fazer pão para toda a gente. Ia e vai! 

A frutinha do Verão também decidiu começar a dar o ar da sua graça e vai que temos nectarinas bem boas no cabaz grande e médio. 

lum3n-RYqO8DhPg68-unsplash.jpgPhoto by LUM3N on Unsplash

 

Cabaz Grande - cebola, cenoura, couve-lombarda, curgete, nabo sem rama, alface, pão, nectarina, laranja, alperce e limão.

 

O médio não leva nabo sem rama, alperce nem alface.

 

Produtos disponíveis para encomenda extra (entre outros): broa e batata nova.

 

Encomendas: http://my.donahorta.pt/

 

Até breve!

 

Nota: entregas em Lisboa suspensas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá!

 

Chegaram as primeiras ameixas da estação! Estas miúdas costumam ficar connosco até ao Outono mas já estão tão boas que decidimos apostar nelas para fazerem um brilharete nos cabazes desta semana.

monika-grabkowska-776406-unsplash.jpg

Photo by Monika Grabkowska on Unsplash

 

Um brilharete também fazem sempre as nossas alfaces. Criadas ao ar livre, muy tenrinhas e viçosas, são lindas só de olhar e sublimes ao paladar. Igualmente boas continuam as nossas couves-portuguesa, que andaram desaparecidas durante uns tempos pois andavam teimosas e melosas. É mesmo a nossa couve pre-fe-ri-da para acompanhar os mais diversos pratos de peixe.

 

Cabaz Grande - batata nova, cebola nova, cenoura, alface, couve-portuguesa, nabo sem rama, tomate, laranja, maçã vermelha, ameixa e ramo de ervas aromáticas.

 

O médio não leva nabo, nem laranja nem cenoura.

 

Notas importantes:

 

- quinta-feira é feriado. As entregas em Leiria serão todas efectuadas na terça-feira;

 

- sexta-feira entregamos em Alcobaça e estamo disponíveis para fazer entregas ao domicílio em Turquel e na Benedita (acresce 1.20 € à encomenda final);

 

- em Lisboa não há entregas esta semana e às Caldas da Rainha, Óbidos e São Martinho do Porto iremos na próxima semana.

 

Até breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Em tempos, já idos, tivemos um pomar de pêssego maracotão num sítio com vista de mar. Lembramo-nos bem. Tinha uma vista soberba sobre os campinhos e ali existia também um pinheiro manso gigante. Ou, se calhar, éramos nós muito pequenos e a dimensão das coisas era outra.

 

Em tempos, já idos, tivemos de arrancar o pessegueiral, porque as árvores começaram a ficar velhas e porque as quotas europeias assim o exigiam. 

 

Nestes tempos, os de hoje, temos saudades de ir a esse pessegueiral, temos saudades daqueles pêssegos amarelos e grandes que tínhamos. E, por esse mesmo motivo, somos esquisitos com pêssegos como poucos.

 

Tem sido difícil encontrá-los com a qualidade que desejaríamos mas temos sido resilientes, preserverantes e pacientes. Fomos então, depois de uma longa busca pelos mesmos, presenteados com pêssegos espectaculares, directamente das Fazendas de Almeirim. E não pensem que nos chegaram só os tais dos pêssegos amarelos. Vieram em rosa e vermelho também, em bom português, ao gosto do freguês.

 

Temos, a partir de hoje, três variedades de pêssego disponíveis na nossa loja online para seguirem directamente para vossas casas junto com a encomenda do cabaz. Para já só conseguimos assegurar estes meninos nas encomendas extra, pois não há fartura dos mesmos. E porque honramos os compromissos com quem nos estima conseguimos umas caixas extra (de pêssego amarelo) que vamos dispensar à Loja da Cooperativa Agrícola de Alcobaça amanhã. Corram, porque os nossos meninos (pêssegos) voam!

 

luann-hunt-755982-unsplash.jpg

 

 

Até breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não existe melhor tradição portuguesa do que a existente nos Santos Populares: uma sardinha assada, em cima de uma fatia de pão de mistura ou broa, acompanhada de salada de pimentos (assados ou crus), regada com vinho tinto ou cerveja. A maioria das pessoas com quem contacto, entra em desespero pois com esta refeição sentem que vão “sair da estrada” do objectivo de perda de peso, mas será que estão?!?

 

chris-lawton-99165-unsplash.jpgPhoto by Chris Lawton on Unsplash

 

Ora vejamos:

  1. Antes de ir para a festa dos Santos Populares, podemos consumir um prato de sopa de legumes;
  2. Na festa, se consumirmos 2 a 3 sardinhas (à volta de 100g) e 2 fatias de pão de mistura ou de broa (cerca de 90 g), estamos a consumir as porções corretas de carne/pescado/ovo e de cereais e derivados, como nos demonstra a roda dos alimentos;
  3. Ao acompanharmos com a salada de pimentos (assados ou crus), temperada com pouco sal e azeite, estamos a consumir pelo menos meia porção de hortícolas (90g);
  4. Se escolhermos a água como bebida de eleição para acompanhar este manjar, conseguimos não nos desviar dos ensinamentos da roda dos alimentos. Caso escolhamos as bebidas alcoólicas devemos restringir o consumo a 1 copo de 0.33cl de vinho tinto (mulheres) ou 2 copos de 0.33cl de vinho tinto (homens);
  5. Caso peça sobremesa ou fruta para consumir no final da refeição, o ideal é dançar toda à noite para que haja o máximo de gasto energético possível, e acima de tudo diversão e socialização!

 

O que falta realçar é que 100g de sardinha não muito gorda tem cerca de 2.7g de ácidos gordos poliinsaturados. São ácidos gordos poliinsaturados os ómega-3, ómega-6 e ómega-9. Este género de ácidos gordos regulam a resposta inflamatória do nosso corpo, estimulam o bom funcionamento do cérebro, e têm um papel fundamental nos processos de crescimento, desenvolvimento e reparação do corpo.

 

Conclusão:

Em caso de festarola de Santos Populares, consuma 1 tigela de sopa de legumes antes da festa. Restrinja o consumo de 2 sardinhas, acompanhadas de 2 fatias de pão de mistura ou broa e salada de pimentos (assados ou crus) e prefira a água como bebida de acompanhamento. De seguida, e porque festa é diversão, dance toda a noite e divirta-se.

 

Até Breve!

Ana Pires

(Nutri 100stress)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá, Olá!

 

A nossa faz tudo de serviço já chegou e é ela que vos escreve de um quintal luminoso com vista para a Nazaré. É que dias como estes não há sempre.

 

Enviamos, esta semana, a newsletter um nadinha mais tarde que o habitua - e pedimos desculpa, óbvio! - mas foram dias passados lá longe para recarregar energias (positivas!) e distrair um bocadinho das semanas loucas que temos tido por aqui.

 

Programar estas coisas (de enviar mensagens supimpas para os melhores clientes do mundo, vocês!) entre aeroportos, engarrafamentos de ovelhas e trilhos pelas montanhas mais bonitas do Leste não dá muito jeito.

 

Loucas andam também as nossas couves-flor. Louca, lindas e muito, muito saborosas!

 

IMG_20190527_145943_434.jpg

(foto da Dona Horta, se a utilizarem por favor identifiquem-nos!)

 

Cabaz Grande - batata nova, cenoura, cebola nova, couve-flor, alho-francê, couve-lombarda, alface frisada, tomate, alperce, laranja e maçã vermelha.

 

Cabaz Médio - cenoura, cebola nova, couve-flor, couve-lombarda, alface frisada, tomate, laranja e maçã vermelha.

 

 

Novidades:

 

- cerejas espectaculares de uma variedade que não há todos os anos. São grandes, rijas, de boa cor e viciantes, directamente da Gardunha.

 

- pêssegos amarelos, cheirosos, peludos, os tais dos maracotões, de polpa rija, directamente das Fazendas de Almeirim.

 

Clique aqui para se inscrever no nosso site e assim receber a nossa newsletter semana l!

 

Cique aqui para encomendar um cabaz para recolha ainda esta semana. Lista de pontos disponíveis para recolha está disponível no nosso super site!

 

Boa semana e até já!

Autoria e outros dados (tags, etc)

tyler-nix-550581-unsplash.jpg

 

Já repararam que o mês de Maio é repleto de acções de sensibilização para prevenção de variadíssimas doenças? De todas elas, hoje venho vos falar das doenças cardiovasculares, ou seja, as doenças de coração. Em 2016, segundo dados recolhidos pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), as doenças do aparelho circulatório representavam cerca de 30% das mortes registadas em Portugal, isto é, 30 em cada 100 pessoas faleceram devido a algum problema de saúde com origem no aparelho circulatório!

Um dos problemas de saúde, que tem vindo a aumentar nos últimos anos, e que a maioria da população não dá grande importância é a Hipertensão Arterial, isto é, tensão alta. Já ouvi inúmeras causas (relatas pelas pessoas) para justificar aquela medição de tensão ser superior às realizadas anteriormente mas no fundo o que aquela medição de tensão significa é: “Cuidado com o teu coração”.

Mas sabiam que existe uma dieta que ajuda a controlar a hipertensão arterial?! Não é uma dieta daquelas que quase todos nós concebemos nesta altura do ano para perder os kg ganhos no Inverno, mas sim uma alimentação, estudada e comprovada! que visa a melhoria do estado de saúde.

A dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) reside em:

  • Elevado consumo de frutas e produtos hortícolas, especialmente os que são fontes mais ricas de potássio e magnésio (banana, pêssego, tangerina, espinafres, brócolos, cenoura e couve-galega);
  • Elevado consumo de cereais integrais, como por exemplo pão integral, de centeio e de mistura. Estes, por possuírem um teor mais elevado em fibra alimentar, promovem a saciedade por mais tempo;
  • Consumo moderado de leguminosas secas, nozes e sementes de oleaginosas;
  • Diminuição da ingestão de gordura saturada (queijos, banha, carnes gordas) e consumo moderado de lacticínios magros, carnes brancas e pescado, o que poderá auxiliar na redução de colesterol (total e LDL);
  • Diversificar os métodos de confecção culinária (cozidos, grelhados, estufados, assados no forno com pouca gordura);
  • Diminuição/Restrição do consumo de sal e/ou sódio alimentar, dando preferência ao uso de ervas aromáticas e/ou especiarias;
  • Restrição do consumo de álcool, açúcar e de todos os produtos açucarados, incluindo bebidas;
  • Escolher a água como bebida de eleição, seja na forma de chás sem adição de açúcar ou águas aromatizadas sem adição de açúcar.

 

Mais do que uma dieta, é um estilo de vida! E já que o mês de Maio vai a meio, porque não desafiar-se? Experimente este estilo de vida nos próximos 15 dias e sinta o seu coração ficar feliz!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olá :)

Esta semana é uma semana das duras. Pois que temos tudo cheio de ervas daninhas e, como de costume, lá vamos ter de andar de rabinho no ar (a dar a ar) a dar conta das danadas. Nem nos importamos muito com elas, ou melhor, importamos, mas também não fazemos nenhum drama. É que preferimos estas meninas a pragas. 

Falando em pragas: nós somos uma, mas das boas. É que esta semana fazemos sete aninhos de cabazes na zona Oeste. Começamos por Alcobaça, a nossa terra-mãe que nos deu a mão (mais concretamente deu-nos um espacinho no estacionamento da Cooperativa Agrícola) e daí seguimos para onde nos foram chamando. E nós fomos ficando :) Alcobaça, Leiria, Marinha Grande. Depois Caldas da Rainha e Lisboa. E ainda damos uma perninha à Batalha, desde o ano passado, e estamos a começar a dar os primeiros passinhos noutras duas localidades pelas mãos de pessoas que mesmo mudando de vila não passam sem os nossos produtos e sem a nossa equipa - porque isso também conta e nós sabemos e temos muito orgulho em sermos estimados e, sim, somos acarinhados onde quer que vamos, por muitas, muitas pessoas.

IMG_1746.JPG

Créditos da Foto: David Sineiro | Fotografia

 

Continuando a história das pragas, destes últimos sete anos, nem nos podemos queixar muito porque o que nós gostamos é de rir. É que nem dá para outra coisa, ora atentem. Algumas pessoas da concorrência lêem a nossa Newsletter e visitam a nossa página de encomendas mais vezes do que nós próprios (parece impossível mas não é). Até houveram umas almas que encomendaram cabazes e até os recolheram. Ficámos contentes: a quanto mais pessoas conseguimos chegar, melhor :D  


Nós - e nunca o escondemos - quando começamos, andávamos à rasca porque não sabíamos bem como se ia processar tudo (produção, logística, distribuição). Pedimos ajuda a quem já fazia este tipo de coisas há mais anos que nós, no estrangeiro. Ficámos mega contentes quando nos convidaram para os visitar e perceber como trabalhavam. Por sermos teimosos ou por termos medo de não estar à altura, não fomos. Mas mantivemos o contacto e a ajuda foi preciosa, nas mais variadas áreas. Por ter sido isso mesmo - preciosa - quando nos pediram ajuda para montarem projectos como o nosso um bocadinho por todo o nosso país, nós demos (e damos) a mão. Sempre, sem excepção. Porque sabemos o quão é difícil fazer isto. E porque sabemos que chega para todos. Quando nos pedem recomendações de serviços iguais ao nosso em zonas nas quais não conseguimos entregar nós recomendamos não só os projectos que ajudámos a pôr em funcionamento como também outros que se pautem por honestidade, transparência, seriedade e vontade de fazer o bem e o certo sem prejuízo do consumidor. Sempre.


Tem sido uma aventura e uma aprendizagem diárias, com altos e baixos, com sentimentos novos e vontade de fazer o certo mesmo quando às vezes, revoltados com certas coisas a que assistimos, tenhamos zero motivação para isso. Mas pomos para trás das costas porque o caminho é todo para diante e quanto menos peso levarmos às costas, melhor que isto não anda nada bom para os bicos de papagaio.


Esperamos continuar a contar convosco, com o vosso carinho de sempre, com as vossas encomendas e até com as vossas reclamações (já recebemos uma esta semana e tudo!) e sugestões (dois pedidos especiais, e a um deles até já atendemos porque arranjámos gengibreeee!!!) que são o que nos dá alento e muita força para sermos melhores e fazermos cada vez melhor.


Esperamos continuar a contar convosco, com os beijinhos e sorrisos com que recebem cada um dos nossos colaboradores, fazendo com que cada um de nós se sinta um bocadinho parte das vossas famílias.


Do nosso coração para o vosso: um agradecimento gigante por estarem sempre connosco, às vezes até do outro lado do Atlântico, dizendo-nos o quanto sentem falta das nossas hortaliças.


E agora, o cabaz :)

 

Cabaz Grande - batatinha branca para assar, cebola nova, couve-coração, tomate, brócolo, curgete, alho seco, alface, maçã, laranja e kiwi.

 

Cabaz Médio - batatinha branca para assar, cebola nova, couve-coração, brócolo, curgete, alface, maçã e laranja.

 

Link para encomendas: clique aqui :)

 

Até breve!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Dona Horta

A Dona Horta é um serviço de entrega de produtos frescos, naturais e saudáveis. Preparamos todas as semanas cabazes de fruta e hortaliças da época e entregamos em locais e horários pré-definidos. Este método único reduz significativamente a pegada ecológica associada à distribuição e promove uma maior aproximação entre consumidores e produtores nacionais. Mas mais importante, a Dona Horta ajuda a melhorar a dieta e bem estar da sua família. Tudo o que precisa de fazer é saborear o melhor da nossa terra, pois nós tratamos do resto! Visite-nos em www.donahorta.pt



Posts mais comentados