Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Cabazes.jpg

 

"É com uma enorme honra e prazer que nos aliamos a um projecto com tanta qualidade. São de louvar projectos que trazem os produtos mais frescos directamente do produtor para o consumidor." Bruno Brito, Aromas da Beira Baixa.

Confusos? Nós explicamos!

Foi com uma alegria enorme - e por estarmos mesmo a precisar de um empurrãozinho - que recebemos o convite da Aromas da Beira Baixa, uma loja especializada em produtos desta zona tão querida de Portugal, para aqui criarmos o primeiro ponto de recolha fixo, em Lisboa, dos cabazes da Dona Horta.

Não podíamos estar mais contentes: adoramos o conceito do Bruno e da Mila, proprietários do espaço, adoramos a esplanada onde, sempre que vamos a Lisboa, almoçamos quase em família (têm de experimentar!) e trabalhar com quem muito se parece connosco e com quem, tal como nós, acredita que por cá, por Portugal, sabemos fazer muito bem uma série de coisas, só pode dar bons frutos, para além daqueles que já vão no cabaz.

Assim, a partir desta sexta-feira, 30 de Setembro de 2016, começamos as entregas neste espaço tão português.

A morada? Avenida Marquês de Tomar, n.º 38. Subir as escadinhas e a nossa Joaninha lá estará para vos receber com o gigante sorriso de sempre.

O horário? Das 20h50 às 21h30. Se houverem atrasos comuniquem-nos, para conseguirmos articular tudo.

E entregas ao domicílio? Temos, mas só depois das 21h30 e acresce à entrega 2,40. Preferimos receber-vos na Aromas da Beira Baixa, para um abracinho e dois dedos de conversa. Por experiência sabemos que é difícil fazê-lo de outra forma e queremos mesmo que sintam e saibam o quanto somos felizes a fazer isto!

Outras recomendações? Traga consigo um ou dois saquinhos amigos do ambiente. Assim evita o custo do vasilhame (2 euros por caixa) e nós ficamos com esta última para higienizar e reutilizar.

O cabaz desta semana? Já disponível para encomenda no nosso site, é só clicar aqui!

Se houver dúvidas, contactem-nos por email, telefone ou pombo-correio. Excluímos os sinais de fumo porque em Lisboa os prédios são altos.

Até já :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

IMG_20160926_173528.jpg

 

 

Cabaz Grande:

batata, cenoura, feijão-verde, espinafre, curgete, couve-lombarda, nabo sem rama, alface, uvas, maçã royal gala e banana.

 

Cabaz Médio:

batata, cenoura, espinafre, curgete, couve-lombarda, alface, maçã royal gala e banana.

 

Obviamente que as bananas são insulares, isto é, da Madeira!

Autoria e outros dados (tags, etc)

unnamed (1).jpg

 

 

De 17 a 23 de Setembro.

 

O Grande: cebola, cenoura, feijão verde, agrião, alho-francês, tomate, alface, pêra rocha, uvas, pêssego ou nectarinas e ervas aromáticas.

 

O Médio: cebola, feijão verde, alho-francês, tomate, alface, pêra rocha, uvas e ervas aromáticas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há dias assim!

16.09.16

AAEAAQAAAAAAAALPAAAAJDAxZjExMDAwLTEwOTgtNDBjOS1iYzk5LTlhMzMxMGMwYmRkOA.jpg

 

A nossa Joaninha é uma "problem solver" por natureza. Desde pequena. E, aquando publicação do Observador, com menção à Dona Horta teve uma epifania. Ora vejam bem lá isto!

 

"Agora um post a sério sobre a Dona Horta e o que esse projecto significa para mim. Comecei com isto com a ajuda do meu irmão, pelos meus pais, que nunca nos faltaram com nada. Porque, como em todos os momentos importantes da nossa vida, pelo menos da maneira que fomos educados (pelos nossos pais e avós), tinha chegado a altura de retribuir todos os sacrifícios que fizeram por nós. 2012. Chegamos até ao hoje com muitas alegrias mas também com algumas tristezas, que nos desinquietaram, nos tiraram o sono, nos fizeram querer desistir. Pelo menos a mim, confesso. Isto tem sido mais ou menos como a aventura do Siddhartha mas pelo Oeste, com incursões a Lisboa, couves, maçãs e bananas metidas ao barulho. Neste momento estou no projecto a tempo parcial, pois novos desafios começam a aparecer no horizonte. Não meu queixo. O que eu não gosto é de estar parada. E mais. O sorriso dos meus pais e o carinho de todos os que connosco colaboram não têm preço. Mas é sempre bom relembrar que este foi um projecto que nasceu de uma quase-morte, por asfixia das grandes superfícies (e não só) e que nós, a custo, a lágrimas, a "vocês sabem lá", continuamos aqui.
Agradeço ao Observador a publicação, não sabíamos de nada. Sabemos que este tipo de artigo chega a muita gente, que é interessada, que se preocupa com a alimentação ou tão-só por acaso. Agradeço aos meus amigos que são incansáveis no que toca a referenciar positivamente este projecto. E aos meus clientes que me ajudam a ser melhor naquilo que faço, sempre, sem excepção.
Em relação a este artigo em particular, eu posso ter os mesmos produtos que os outros todos, cada um escolhe o que mais lhe convém ou agrada ou lhe está mais chegado aos afectos (também me acontece). Mas há um par de coisas que eu tenho a mais: a frescura, produtores a dar a cara, e uma sinceridade brutal, que às vezes arrepia, de quem já abdicou de muito, já passou por muito, e que ainda tem lata de vir aqui ao Facebook mandar estas larachas todas. Não sou coitadinha nenhuma. Sou uma grande filha-da-mãe, que às vezes tem uns tomates maiores que os de um toiro, que se passa com injustiças, mas também se "passa" quando vê o seu trabalho reconhecido (porque todos precisamos disso de vez em quando) e por esse mesmo motivo o partilha. Partilhem-no também, dando a vossa opinião, contributos, se possível mencionando a tal da Dona Horta, para que consigamos chegar a mais pessoas. Se fizer sentido para vós, claro.
Afinal, ao contrário do que eu pensava, nos últimos tempos, nem ando a fazer tudo mal e as provas têm vindo de onde menos tenho esperado.
E é isto e mais aquilo. A minha mãe diz que eu dava uma excelente copy, uma boa community manager. O meu irmão vota sempre em business developer, a minha cunhada em account e o meu pai, esse só me quer perto dele. O que é que eu faço à minha vida?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

IMG_20160914_145530.png

 

Trabalhamos muito, às vezes até demais. Mas adoramos o que fazemos. E, de vez em quando, vem o reconhecimento, numa publicação, com menção a nós e a mais uns quantos, desta feita no Observador. Já espreitaram? Não?! Espreitem aqui!

 

Leiam e partilhem, acreditamos que o acesso à alimentação saudável é um direito de TODOS e há escolhas para todos os gostos! Mas, por motivos, óbvios, desta feita somos tendenciosos! ;) #SomosDonaHorta

Autoria e outros dados (tags, etc)

De 10 a 16 de Setembro.

 

unnamed.jpg

 

 

Cabaz Grande: batata, cenoura, cebola, espinafre, brócolos, curgete, ameixas, maçã royal gala, pêssego ou nectarina, ervas aromáticas.

 

Cabaz Médio: batata, cenoura, espinafre, curgete, ameixas, maçã royal gala, ervas aromáticas.

 

Acresce, quer ao cabaz grande quer ao médio, alface! Há ainda a possibilidade de encomendar apenas produtos extra, caso a composição do cabaz não se adapte às necessidades do seu agregado familiar.

 

Até breve!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esta semana há uvas nos cabazes, médio e grande. Destas não se encontram por aí, ai não não!

 

IMG_20160903_182357.jpg

 

 

De 3 a 9 de Setembro, Alcobaça, Leiria, Marinha Grande, Nazaré, Valado dos Frades e Caldas da Rainha.

 

Composição do Cabaz Grande: batata, cenoura, cebola, brócolo, couve-coração, alface, tomate, alho-francês, melancia, uva, pêssego (ou nectarina).

 

Composição do Cabaz Médio: cenoura, cebola, brócolo, alface, tomate, alho-francês, uva, pêssego (ou nectarina).

 

Produtos disponíveis para troca: abóbora, agrião, batata, cebola, cenoura, couve-coração, couve-portuguesa, curgete, couve-lombarda, couve-roxa, pêra (variedade croche).

Autoria e outros dados (tags, etc)

IMG_20160903_182048_resized_20160903_064106506.jpg

O recomeço. Setembro é um recomeço, no que aos cabazes respeita. Os nossos amigos e fãs chegam de férias, cheios de energia e vontade de cumprir com todos os objectivos que faltam até ao fim do ano. Sabemos, sentimos, faz parte, a preocupação com a alimentação, não tão só com almoços e jantares mas também com o cuidado, o carinho, o mimo, a satisfação que queremos e gostamos de dar aqueles que mais amamos.

 

É por isso, por isto, e por muito mais que há-de vir, de forma sustentável e equilibrada, sem prejudicar outrém, que temos lutado muito. E vamos continuar a fazê-lo, esperamos que de uma forma muito mais feliz e especial.

 

Contamos com todos, os que nos lêem, os que nos seguem, os que são nossos fãs, amigos, heróis, para nos superarmos até ao fim de 2016. Pormos a alimentação saudável e sustentável nas bocas de miúdos e graúdos e fazer muita gente muito mais feliz.

 

#somosdonahorta

Autoria e outros dados (tags, etc)


Dona Horta

A Dona Horta é um serviço de entrega de produtos frescos, naturais e saudáveis. Preparamos todas as semanas cabazes de fruta e hortaliças da época e entregamos em locais e horários pré-definidos. Este método único reduz significativamente a pegada ecológica associada à distribuição e promove uma maior aproximação entre consumidores e produtores nacionais. Mas mais importante, a Dona Horta ajuda a melhorar a dieta e bem estar da sua família. Tudo o que precisa de fazer é saborear o melhor da nossa terra, pois nós tratamos do resto! Visite-nos em www.donahorta.pt